Quinta-feira, 3 de Dezembro de 2009

 

 

  há quase um ano foi assim:
 
Era uma vez, há muitos, muitos anos, um menino chamado Rudolfo que todos os anos escrevia ao Pai Natal uma carta com um só pedido:
“- Meu querido Pai Natal,
Como sabes este ano eu portei-me muito bem, por isso queria-te pedir um presente para mim muito especial, queria que me deixasses ajudar-te a distribuir os presentes na noite de Natal.
Muito obrigado e Feliz Natal para ti, para a Mãe Natal e para os Natalinhos,
Rudolfo”
Mas o Pai Natal dava-lhe sempre um outro presente, ora uma bicicleta, ora uma trotineta, mas nunca o que o Rudolfo lhe pedia!
Todos os anos era sempre a mesma coisa, e o Rudolfo de ano para ano ficava cada vez mais triste. Os Pais bem lhe diziam que o Pai Natal não fazia por mal, mas ele não acreditava. Até que um ano não escreveu a sua cartinha…
Ora, no Pólo Norte, o Duende Carteiro ficou muito preocupado por não haver nenhuma cartinha do Rudolfo, e foi logo a correr ter com o Pai Natal a contar o sucedido… este, decidiu descer à terra e ir falar com o menino para lhe explicar porque não podia satisfazer o pedido dele.
“- Rudolfo, eu sei que tu andas muito triste por eu não te dar a única coisa que tu me pedes mas, como tu bem sabes, eu não posso levar ninguém comigo no trenó. Eu sou assim para o gordinho e o saco mágico dos brinquedos é muito pesado, tu sabes que são milhões de brinquedos que lá vão dentro, não sabes?”
“- Ó Pai Natal, mas eu sou pequenino e magrinho, e dava-te uma grande ajuda, porque como sou assim consigo entrar naquelas chaminés modernas que são mais apertadinhas! Vá lá, vá lá, deixa-me lá ir contigo, e juro-te que nunca mais te peço nada! – pediu o Rudolfo quase à beira das lágrimas.”
O Pai Natal ficou um bocadinho a pensar na proposta do Rudolfo, mas mesmo assim não dava, o trabalho do Pai Natal só pode ser feito pelo próprio Pai Natal… mas, talvez… sim podia-se talvez fazer qualquer coisa…
“- Rudolfo tive uma ideia, mas primeiro tenho que falar com a Bruxa Boa do Pólo Norte para ela nos dar uma ajudinha.”
E, assim, o Pai Natal deixou o Rudolfo muito excitado e foi à procura da Bruxa Boa. Quando esta ouviu a ideia do Pai Natal, achou que se podia fazer, e, lá foram os dois ter com o menino para lhe contarem o que tinham decidido.
“- Rudolfo, só há uma hipótese mas nós achamos que tu vais gostar. Então, é assim, no dia 24 de Dezembro, todos os dias 24 para sempre, tu vais ter connosco ao Pólo Norte, mas logo de manhãzinha, e então serás transformado numa Rena! O que é que achas?”
“- Numa Rena? Como é isso” – perguntou o Rudolfo muito interessado.
“- Sim, numa Rena.” – Disse o Pai Natal – “Mas não numa rena qualquer, serás a Rena principal, e para isso, para te distinguires das outras renas terás um nariz vermelho luminoso! O que achas desta ideia?”
“- É uma ideia maravilhosa! Hurra!” – gritou o Rudolfo.
E foi assim que o desejo do Rudolfo foi finalmente concedido, e é por isso que ainda hoje a Rena mais animada que puxa o trenó do Pai Natal tem o narizinho vermelho, pois não é outra senão o Rudolfo!
FIM
 

História inventada por Pedro Rosado e Ana Carla Rosado no dia 06 de Dezembro de 2008 quando iam a caminho do treino de futebol...


sinto-me natalina...
música noite feliz
tags:

publicado por oquemeapetecer às 16:36 | link do post | comentar | favorito

tal como o nome do blog diz...
mais sobre mim
Junho 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


posts recentes

está à venda na ORTOFISIO...

continuo desaparecida...

ortofisiocare

ainda cá ando...

morangos com açucar ou mo...

hey you...

beto - memórias esquecida...

almoçarada!

...

... falta de inspiração.....

arquivos

Junho 2011

Maio 2011

Outubro 2010

Setembro 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

tags

todas as tags

cusquices
somos nós
Ana Carla Lino | Cria o teu cartão de visita
blogs SAPO
subscrever feeds